4 de julho de 2015

Redução da Marioridade Penal e o Ataque Racista à Maju



Uma pergunta: Será que tem alguma ligação entre o ataque racista que a Maju recebeu e a PEC da redução da maioridade penal?

A esquerda sempre usa dos meios mais torpes para conseguir alcançar os seus objetivos, então é razoável que tenhamos dúvidas em relação ao ataque racista que a “menina do tempo” da Rede Globo recebeu na última semana, mesma semana, diga-se de passagem, em que está em discussão a proposta de emenda constitucional que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos. A desconfiança aumenta ainda mais se levarmos em consideração que os ataques racistas partiram de perfis falsos nas redes sociais e que quase a totalidade dos perfis verdadeiros se indignaram com tal atitude. Há ainda o agravo nessa desconfiança se nos recordarmos de como as ascensão meteoricamente viral aconteceu de forma sincronizada e partindo de discursos bem parecidos. Isso sem falar em histórico recente de ataques de fakes que sempre favorecem às pseudo-denúncias da esquerda reforçando sua pauta.

E se levarmos em consideração que sempre em ocasiões em que há alguma votação polêmica no congresso a mídia em consonância com os movimentos sociais sempre está pautada na ênfase em notícias que de alguma forma tangencia o tema debatido no congresso? Casamento Gay aparece fortemente com casos de homofobia. Ideologia de Gênero com bandeiras defendidas pelos movimentos LGBT e Feminista. Estatuto da Família, também aparece junto com ampla divulgação de causas LGBT.

Não é por acaso que as últimas pautas ativaram os movimentos homossexuais. Mas, para essa nova pauta a causa homossexual é o extremo oposto, visto que eles visam criminalizar ações e o projeto da redução da maioridade penal tem também o viés de punição. É preciso pautar de outra forma, e no vasto leque de movimentos sociais que a esquerda detém, o movimento negro é o que tem a “pauta de combate” mais apropriada para essa situação.

Os argumentos apelativos-emocionais contrários à redução da maioridade penal sempre giram em torno do racismo. O apelo é sempre para o argumento de que reduzindo a maioridade penal se estará condenando o jovem 3P’s (Preto, Pobre de Periferia) trazendo uma “realidade” totalmente fora das razões reais que não irei trazer neste post.

Mas, o que tem a ver o ataque racista à Maju e a redução da maioridade penal?

Simples. É preciso apelar emocionalmente para as condições do negro na sociedade que dizem ser racista e que tem o objetivo de punir o negro. Essa ânsia de punir o negro se reflete na redução da maioridade penal e se você for a favor dessa tamanha “atrocidade racista contra o negro” você é um racista imundo e sem coração, pior do que um nazista e os deputados que apoiam isso são piores que Hitler. A propósito... Outro argumento combativo dos contrários à redução da maioridade penal é que a maioria da população alemã apoiou o nazismo e que não necessariamente 87% da população apoiar a redução da maioridade penal significa que ela deva ser aprovada.

Conclusão: Esse ataque racista à Maju cai como uma luva para ativar o movimento negro e não duvide de em breve ver imagens representando jovens negros de periferia crucificados, como fizeram na última parada gay em que se estava em discussão a Ideologia de Gênero.




10 de novembro de 2014

A Histeria Esquerdista em Relação às Manifestações Contra o PT


A histeria dos esquerdistas em relação às manifestações contra o PT está batendo níveis alarmantes. É difícil acreditar que não há uma grande dose de “mau-caratismo” além da histeria metódica. A maneira como os esquerdistas, principalmente os petistas, estão reagindo em relação a quem não concorda com tudo isso que hoje estamos vivendo no Brasil só comprova o caráter totalitário de quem quer controlar as informações para deturpá-las.

No último final de semana tive acesso a um vídeo completamente histérico, fora da realidade, um vídeo que deixaria qualquer veículo da grande mídia com inveja com a alta precisão nas deturpações. Fatiaram o vídeo inteiro, mostrando somente as imagens completamente fora do contexto. Um vídeo que me faz suspeitar que pessoas mal intencionadas foram às manifestações como agentes provocadores para torrar a paciência de manifestantes que estivessem com o ânimo um pouco mais aflorado e conseguirem desestabilizar a manifestação.

A manifestação contra o PT que aconteceu em algumas cidades do Brasil no dia 01/11/2014 teve seu principal foco em São Paulo, onde visivelmente teve mais de 10 mil pessoas (embora a grande mídia tenha informado números divergentes que variam de 1.000 a 3.000 pessoas, que suponho que tenham coletado apenas os números no momento da concentração, antes da manifestação começar).

Ora! Numa massa de 10.000 pessoas, se 300 estavam lá pedindo “intervenção militar” e/ou pedindo a separação do Sul e Sudeste do resto do Brasil, essa quantidade representa 3% dos manifestantes que, por sinal, estavam em total desacordo com a pauta da manifestação e com o que os líderes do movimento pediam em cima do carro de som. E tais atitudes (e pedidos) foram rechaçados prontamente pela organização, ou seja, as pessoas que pediram intervenção militar e/ou separatismo não tiveram suas reivindicações acobertadas (como acontece com a esquerda que tenta justificar/validar as depredações e picos de violência nas manifestações que organizam).

A porca esquerda brasileira está, digamos, desesperada porque está vendo uma reação contrária ao seu projeto. Uma reação enfática, de oposição efetiva, muito diferente dos últimos (pelo menos) 25 anos, quando detinham praticamente o “monopólio” das manifestações. Não atoa, no próprio dia da manifestação, deturpações já começaram a aparecer e, o que mais é mais assustador, a grande mídia simplesmente MENTIU sobre uma manifestação que começou e terminou sem grandes problemas. Não houve confronto com a polícia, não houve patrimônio público (nem privado) depredado, não houve feridos, não houve coquetel molotov, não houve rojão, ou seja, foi uma manifestação completamente pacífica em que só se fez uso de palavras orais e escritas. A única exceção no que tange “arma” ficou por conta do POLICIAL FEDERAL Eduardo Bolsonaro (recém eleito deputado federal) que levou sua arma desmuniciada, caso que já foi esclarecido e que, por sinal, ele sequer ficou no meio da multidão.

A manifestação de 01 de novembro foi completamente diferente das manifestações de junho de 2013 que deixou muito claro quais foram os reais objetivos das manifestações de junho 2013: apertar ainda mais a participação do estado autoritário. Não atoa depois dos protestos de junho lançaram mão em “regulação da mídia”, “marco civil da internet”, pediram o plebiscito constituinte para reforma política, os projetos de desmilitarização (e unificação) das polícias tomaram força novamente, há a tentativa de centralizar o controle da polícia a nível federal, tirando a autonomia dos estados, o projeto infame do decreto 8.243 que cria conselhos populares sob o comando do PT e aliados entre diversos outros projetos. A cara de pau chegou a nível tão alto que o PT publicou na sua página oficial seu caráter totalitário-ditador. Veja:

01) Em resolução interna, o PT prega hegemonia e por 4 vezes reforça a intenção de controlar a mídia
02) O PT aloprou pra valer, mas, pela primeira vez, fala a verdade: resolução do partido confessa querer a reforma política para se impor como partido único, prega a revolução cultural para conquistar a hegemonia e deixa claro que proposta de diálogo de Dilma é uma farsa
03) Resolução do PT escancara intenções totalitárias do partido e ofende brasileiros, diz Constantino

E para quem duvida do que foi escrito nos três links indicados anteriormente, pode conferir diretamente do site do partido (se tirarem do ar, que nem fizeram com a resolução do 5º congresso do PT, me avisem que subo o documento em outro lugar).

Vídeo Torpe Produzido Por “Ocupa TV”

Olhem o nível “mental” de quem produziu esse vídeo, chamando a manifestação de “Pregação do Ódio” e de “Intolerante”.

Na página do “Ocupa TV”, eles tiveram a indecência de ainda dizer: “O protesto (o maior desde junho de 2013) incluiu cenas de agressão, preconceito social e demonstrações de ódio contra cidadãos que passavam pelo local e jornalistas (como a equipe do CQC), que evidenciam o caráter violento e autoritário da extrema direita. Uma verdadeira aula de como o fascismo e a ignorância política caminham juntos”.

Para responder só um pouquinho essa afirmação do “Ocupa TV”, vejam esses links:

01) Manifestantes quebram carro de TV em protesto contra leilão do pré-sal
02) Manifestantes quebram carro da Record durante protesto em São Paulo
03) Grupo tenta invadir sede da Globo e depreda lojas no DF; Choque impede aproximação de estádio
04) Vândalos Atacam Ruas Do Leblon E Ipanema Durante Manifestação (Vídeo)
05) RJ: Veja com exclusividade os cinco minutos em que manifestantes tomaram a Alerj (17/06/2013) (Vídeo)
06) Manifestantes quebrando carros no Rio de Janeiro (Vídeo)
07) Ratinho fala sobre morte de cinegrafista da Band e comenta ação dos "Black Blocs" (Vídeo)
08) HD - Cinegrafista agride black bloc que o ameaçou: 'você é o próximo' - "Cidade Alerta" (10/02/2014) (Vídeo)

Vejam agora o vídeo produzido pelo “Ocupa TV” para a Manifestação de 01 de novembro na Av. Paulista:


Como contra ponto, vejam agora o vídeo produzido pela organização da Manifestação de 01 de novembro:

Querem mais?

01) PT tentou impedir 1º Ato Impeachment Dilma Rousseff Av. Paulista SP (Vídeo)
02) IMPEACHMENT DA DILMA ROUSSEFF - AV. PAULISTA 1 DE NOVEMBRO (Vídeo)
03) Ato cívico em 01 de Novembro de 2014 - Passeata Av.Paulista (Vídeo)
04) Paulo Eduardo Martins no 1º Grande ato Fora Dilma/Impeachment Já, na Av. Paulista 01/11/2014 (Vídeo)
05) Atos em São Paulo, Curitiba e Brasília pedem impeachment de Dilma (Vídeo)

Vejam essa entrevista de Paulo Batista e Eduardo Bolsonaro no The Noite


Como pode ser visto, isso sim foi uma manifestação pacífica. Agora, comparem com o que vem a seguir e o que eles apoiam!

O que a Esquerda Entende Por Manifestação Pacífica

01) A Índole Esquerdista nas Manifestações
02) Qual o Real Objetivo do Movimento Passe Livre? - O que está acontecendo com o Brasil?
03) DIRIGENTE DO PSOL PREGA ALIANÇA COM BLACK BLOCS
04) PSOL, PSTU e PT comandam sindicatos ligados a black blocs
05) “Black Blocs não são terroristas”, diz Luciana Genro do PSOL
06) A Conivência do Psol com os Black Blocs

Vale ressaltar que essas manifestações defendidas pela Esquerda já MATOU (isso sem falar nos inúmeros feridos). PARA ELES, o uso da “tática Black Blocs” não é terrorismo (como pode ver em alguns links acima) e, sim, o apoio deles ao black blocs (que tiraram o povo de bem das ruas em junho do ano passado) estava no site oficial do Psol. "Estava" porque eles tiraram a matéria do ar cujo título era “Tática Black Bloc. Condenar, conviver ou se aliar?”, mas como a internet tudo guarda, leiam o artigo na íntegra (link mais abaixo) e destaco algumas “passagens interessantes”:

“Em tese, as táticas Black Bloc dispõe-se a proteger manifestações da sociedade civil contra ações truculentas das forças do Estado. Dispõe-se a gerar prejuízo material a quem causa prejuízo ao bem público mais precioso – as pessoas - e é fácil perceber um forte conteúdo anticapitalista nos seus alvos. Seu diferencial mais saliente, e porque não dizer sedutor, é a coragem e o desprendimento com que se lançam diante da repressão estatal.”

Pois é... Eles jogam foguete na polícia, a polícia revida, gera-se o conflito e eles dizem que protegem os manifestantes contra a “ação truculenta” da polícia. A pergunta é: porque a manifestação de 01 de novembro não foi necessária essa proteção?

“... não nos parece que o conceito da tática Black Bloc seja algo retrógrado ou mesmo indesejável em essência e propósitos originais. É algo progressivo, politicamente moderno, trazido pelas mãos da dialética na história. Se este fenômeno é mesmo a síntese de um processo histórico e do desenvolvimento das forças produtivas, creio estar descartada a hipótese da não convivência com ele.”

Barbárie, disputa de força, imposição dos desejos através da violência. Nada disso é retrógrado para eles! Agora, mais abaixo, veja se não está alinhadíssimo com o que prega oficialmente o PT (com o decreto bolivariano):

“É tempo de democracia participativa, de ação direta, de transparência, de atritos diretos entre o poder real e os despossuídos, sem as escaramuças de falsos representantes em uma esfarelada democracia de faz de conta. Quem mais deve estar preocupado com isto são os governos que já estavam acostumados com conflitos de resultados previsíveis.”

Eles encerram o texto com essa proeza:

“Para quem pretende mudar o mundo de verdade, não deve parecer utópico ou ingênuo demais querer ver os movimentos e partidos da esquerda coerentes, como o PSOL, dialogando com a tática Black Bloc, respeitando todas as táticas e o máximo possível as sensibilidades mais positivas da opinião pública e da consciência das massas, respeitando-a e sem capitular a ela, como defendia Lênin; ou disputando a hegemonia, como teorizava Gramsci, fazendo desta consciência social mais um aliado na construção de uma sociedade mais próxima da que precisamos. Talvez esteja aí o nosso desafio nesta questão da tática Black Bloc.”

Para ver o texto na íntegra, clique aqui!

Sim, É Doença

Diante de tudo isso que foi possível ver, desde que você não esteja mentalmente doente, é impossível não notar a histeria (no sentido patológico e não apenas um “pití”), a deturpação para enquadrar as coisas na “realidade” que eles desejam ser o real, a mentira doentia dos movimentos de esquerda.

Que esquerdismo já pode ser considerado uma doença mental, isso o Lyle Rossiter já mostrou em “The Liberal Mind: The Psychologicl Causes Of Political Madness” e que parte foi traduzido pelo Luciano Ayan e pode ser visto neste post: “ESQUERDISMO - Uma Doença Mental Grave”. Agora fica por sua conta embarcar nessa loucura ou, se está neste barco de loucos, procurar ajuda e se tratar.





7 de novembro de 2014

Não é Hora de Atacar os Inimigos dos Inimigos



“O inimigo do meu inimigo é meu amigo”, já diz o provérbio. Essa é a máxima que hoje, em tempos de crise e de altíssimo risco que nossa liberdade está correndo, devemos seguir. Não digo para cedermos e acreditarmos que “o inimigo do nosso inimigo” é nosso amigo incondicional e que não devemos estar de olhos abertos em relação a ele. O problema, é que não podemos sair atacando possíveis aliados somente porque não seguem nossos valores por completo, é preciso saber unir forças para derrotar os inimigos em comum.

Por que estou escrevendo sobre isso? Eu pensei que durante as eleições tudo estivesse bastante claro em relação à nossa proposta em ser contra o Foro de São Paulo (não somente contra o PT), mesmo que o nosso “escolhido” não fizesse menções ao Foro de São Paulo. O nosso “escolhido” nessas eleições de 2014 foi o Senador Aécio Neves, do PSDB, que sabemos ser um partido de ESQUERDA, mas que pode servir de instrumento para desaparelhar a máquina que o PT montou nesses 12 anos de poder (indo para 16 e correndo sérios riscos de ir a 24 anos, caso Lula tenha condições de governar até lá).

Aécio Neves em sua campanha eleitoral mostrou muita coisa que nós da Direita acreditamos e cada vez mais caiu no gosto dos direitistas, chegando ao ponto da movimentação em favor de sua campanha ter sido gigantesca e de forma espontânea, nada de militantes do partido e nada de “mercenários” (pagos para militar). O movimento foi tanto que quando saiu o resultado das eleições o sentimento foi de frustração.

Essa frustração precisa ser canalizada contra o GOVERNO DO PT e não contra o que hoje temos como instrumento para fazer oposição. Não podemos simplesmente atacar quem se opõe ao PT somente por não fazer o que achamos ser certo. É preciso lembrar que precisamos esgotar todos os artifícios antes de solicitarmos ajuda das forças armadas ou até mesmo ajuda internacional. Nós não podemos (não é constitucional) atropelar as situações somente porque estamos vendo um Terror Vermelho tomando conta do Brasil. É importante lembrar que eles estão a mais de 50 anos trabalhando em cima disso tudo e que durante 4/5 desse período não se teve uma verdadeira oposição a eles.

Logo que saiu o resultado das urnas, começaram as cobranças em relação ao apoio que demos ao candidato Aécio Neves. Logo na declaração assumindo a derrota, muitos já criticaram o posicionamento dele aceitando sem questionar. Criticou-se também o posicionamento do PSDB que não fez barulho diante de tantas denúncias de irregularidades (não usarei o termo “fraude”) nos dois turnos dessas eleições de 2014.


Acusação de Golpe

É de conhecimento de todos que basta apertar a esquerda, quando esta está no poder, para ela espernear chamando quem faz as denúncias de “golpista”. É exatamente com essa acusação que eles apertam os parafusos e partem para esmagar os opositores. Isso aconteceu de forma muito clara na Venezuela, que teve um processo eleitoral, no ano passado, MUITO PARECIDO com o nosso deste ano e vimos como o ditador Maduro desceu o braço do Estado e fez uso das milícias chavistas para conter o que eles acusavam porcamente de “golpe”. Não esqueçamos que aqui no Brasil temos equivalentes às ferramentas que Maduro utilizou: o MST e a Força Nacional são apenas dois exemplos.

Para não dar justificativa para o PT fazer o mesmo que Maduro fez na Venezuela, é preciso estarmos com a lei (mesmo que comandada por eles) debaixo do braço. Isso é ainda mais evidente quando se trata de políticos e partidos políticos. É PRECISO RESPEITAR AS INSTITUIÇÕES. O povo pode protestar pedindo mudança, mas os representantes deles não podem, pois não estamos numa ditadura aberta, a ditadura que está se instalando no Brasil é velada.

Muitos brasileiros, eu diria até que a maior parte dos 51 milhões dos que votaram em Aécio Neves este ano, desconfiam (tem quase certeza) de que houve fraude nas eleições e pede para que o atual senador de Minas Gerais, junto com o PSDB, conteste os resultados. Isso simplesmente não é possível fazer de forma tão veemente como a direita deseja. Fazer esse tipo de acusação é colocar em cheque as instituições e dar motivo para a acusação de golpe. É preciso seguir todo o processo democrático, como o PSDB fez, e em cima disso ir tentando corroer pelas beiradas, buscando indícios de irregularidades.

Outro ponto que cobram bastante é o pedido de impeachment. Sim, é legítimo o povo pedir as investigações e cobrar a derrubada do presidente caso sejam comprovados os motivos. O problema é que as investigações ainda estão acontecendo e os representantes (que, repito, precisam usar ferramentas da democracia) não podem ser “levianos”. É preciso dados concretos. Caso contrário, a eles terão a desculpa de estarem sofrendo o risco de golpe e legitimar uma reação enérgica.


Intervenção Militar

A intervenção militar é outro pedido muito corriqueiro dentro da direita. Sim! Uma intervenção militar é prevista constitucionalmente DESDE QUE TENHAM ESGOTADO TODOS OS RECURSOS DEMOCRÁTICOS. A pergunta é: Todos esses recursos foram utilizados?

Claramente eles não foram esgotados. Aliás, o que o PSDB está tentando fazer é exatamente aplicar essas ferramentas democráticas e o lado de cá está tentando colocar o carro na frente dos bois. Não há justificativa plausível para uma intervenção militar no momento. O argumento do aparelhamento do Estado, que os recursos não vão dar em nada e que isso é dar mais tempo para que o PT aparelhe ainda mais as instituições não é válido dentro das instituições democráticas. Usar do “desespero” porque estamos vendo o “poderoso braço vermelho descendo no Brasil” não legitima as ações. O que precisamos fazer é elaborar um plano de contenção e dificultar o máximo que avancem.

Claramente tivemos uma vitória nessas eleições. Nossa vitória ficou clara com o congresso “mais conservador desde 1964” (mesmo sabendo que não é tão conservador assim) que termos a partir do ano que vem e a disputa eleitoral mais acirrada desde a redemocratização em 1985. Se olharmos os mapas de votação, veremos que o PT teve baixa em todas as regiões, inclusive no Norte e no Nordeste, sendo nessas duas últimas um avanço menos significativo da oposição ao PT.


Cobrar da Oposição (DEM e PSDB) e não Atacá-la

O que temos que fazer, hoje, é cobrar e pressionar a oposição, principalmente o DEM e o PSDB para ficarem em cima do governo, de fazerem uma oposição efetiva e não uma oposição de mentirinha como fizeram nos últimos 12 anos. Eles, até o momento, estão acenando que vão fazer isso. O discurso de parte do PSDB (principalmente de Aécio Neves, Aloysio Nunes e Álvaro Dias) está em tom de continuidade da campanha eleitoral, ou seja, de acordo com grande parte de nossa pauta (excetuando alguns pontos morais). Precisamos marcar em cima e fazermos nossas reivindicações nas ruas e nos meios de comunicação que pudermos usar.

O que não podemos, EM HIPÓTESE NENHUMA, é dar armas para o inimigo e reforçar o discurso deles. Nossos ataques à oposição só vai nos marcar como “radicais de direita”, pois nem o PSDB e o DEM nos satisfazem, ou seja, queremos impor uma ditadura (ainda mais com os pedidos de intervenção militar). Vale lembrar que eles MARCARAM O PSDB COMO DIREITA e qualquer coisa que esteja à direita do PSDB será chamado de “Extrema Direita”, e olhe que os mais radicais já estão colocando o PT como direita e deslocando o PSDB e o DEM para a extrema direita, “tirando-nos do limite aceitável de direitismo”.


Desconstrução da Imagem da Oposição

A oposição saiu muito mais forte do que em qualquer outro processo eleitoral da história democrática brasileira. Para quem tem um projeto de poder e pretende implantar uma “hegemonia político-cultural”, isso é uma ameaça. Como eles têm PRATICAMENTE TODOS os meios de ação na mão, vão trabalhar para enfraquecer a imagem da oposição. Isso já está muito visível para a gente e o que mais me espanta é o fato de muitos estarem caindo no “conto da mídia”.

A linguagem dos próximos meses (anos) de toda a imprensa não será para construir uma imagem positiva do PT, mas sim de desconstrução da imagem da oposição. Ou seja, vão falar para a gente, VÃO TENTAR MANIPULAR AS INFORMAÇÕES PARA QUE A GENTE COMPRE O QUE DIZEM. Só nesses primeiros dias após as eleições já vimos quantas manipulações a grande mídia já fez para que rejeitássemos o PSDB (principalmente Aécio Neves, que saiu MUITO forte dessas eleições e tem claras chances de vitória em 2018, mesmo disputando contra o Lula).

A grande mídia vai tentar fazer com que percamos a vontade de apoiar o ÚNICO que pode derrotar o Foro de São Paulo em 2018 e que tentemos construir por esses anos um candidato que não terá chances de vitória por pelo menos mais 3 eleições (ou seja, 12 anos).


PSDB está Rachado

Claramente o PSDB está rachado. O partido já tinha seus problemas (divisões) internos e nesta eleição de 2014 o Aécio Neves conseguiu unir todos a um objetivo em comum. É um erro crasso colocar de antemão todos do PSDB no mesmo saco, dentro da ideologia do partido, até porque não existe ainda um partido de direita no Brasil e todos que se desejem ter participação política terá que se filiar a um partido ideologicamente de esquerda. Neste momento É PRECISO SABER SEPARAR AS PESSOAS DOS PARTIDOS, principalmente nos partidos DEM e PSDB (e incluo nesse pacote também o PMDB).

O tempo inteiro estou citando três políticos do PSDB, são eles que no momento coloco à parte do partido (mas não confio cegamente, obviamente): Aécio Neves, Álvaro Dias e Aloysio Nunes, sendo que os dois primeiros estão me agradando no pós processo eleitoral. Claro que só posso julgar pelo que eles declaram publicamente e enquanto os bastidores não vêm à tona. E são exatamente esses bastidores que a grande mídia vai tentar manipular para favorecer o PT, por isso é preciso ficar muito atento. Como disse algumas linhas acima, vão tentar falar conosco e, claro, vão tentar mostrar a podridão do PSDB para que rejeitemos e não ofereçamos ameaças ao PT a curto e médio prazo.

Não se espantem também de aparecerem muito mais declarações de políticos do PSDB que vão contra os políticos citados! O PSDB está rachado, como disse, e essa rachadura também é para o pleito de 2018. Será uma imensa burrice do PSDB trocar de candidato à presidência em 2018, mas não se enganem, a ganância pelo poder fala mais alto e a ideologia também e, não duvidem também, que o PT tem pessoas dentro do PSDB para melar todo o partido fazendo uso da mídia para propagar os fatos.


O Posicionamento de Olavo de Carvalho

Encerro esse post (que pode ter continuação em outros dias) falando do posicionamento do Olavo de Carvalho, um dos principais influenciadores de quem vai contra o PT e o Foro de São Paulo. Resolvi falar em especial do posicionamento dele, pois estou vendo que muitos estão seguindo um caminho que acredito que não seja o de desejo do Olavo.

Nos últimos dias o Olavo de Carvalho abriu artilharia contra o PSDB e, notem, pediu para que seus seguidores deixem recados para todos da oposição cobrando medidas e posições em relação ao governo petista. Ou seja, ele sabe que hoje somente o PSDB tem força efetiva para fazer dura oposição ao governo petista e está solicitando que seus seguidores cobrem do PSDB.

E por que ele está abrindo artilharia contra o PSDB, inclusive dizendo que para acabar com o PT é preciso acabar com o PSDB, pois este último é ferramenta de desinformação?

Primeiro, o PSDB está atento ao que Olavo de Carvalho fala e isso é um puxão de orelha para não deixar a oposição cair na inércia e manter a energia que eles tiveram durante a campanha (principalmente o Aloysio Nunes, o Álvaro Dias e o Aécio Neves).

Segundo, como o país está carente de representante, não se pode “entregar de mão beijada” para um partido essencialmente de esquerda essa “massa de manobra” da direita. Ainda há muita ingenuidade por parte dos novos direitistas (que por sinal são muito jovens, em torno de 16 a 25 anos) e podem ser cooptados.

Terceiro, manter uma energia na população independente de partido político e ideologia (vale lembrar que Conservadorismo não é uma ideologia). Embora o PSDB e o DEM não tenham tanta força como o PT, eles são poderosos (principalmente o PSDB) e possuem meios de irem criando sua própria massa, iludindo os atuais direitistas.